Dicas do Sommelier



Vinhos após sua abertura o que fazer?


Vinho depois de aberto - o que fazer?




 



 
Quer num jantar de amigos, quer sozinhos, muitas vezes abrimos garrafas de vinho que não são consumidas por completo. Surge logo a dúvida da preservação do resto do vinho. Um vinho engarrafado evolui lentamente podendo aguentar anos. No entanto, depois de aberto, o contacto com o oxigénio acelera o processo. Os vinhos mais complexos, usualmente necessitam de respirar antes do consumo. Assim, o vinho bebido um dia depois de aberto terá características distintas do momento que foi aberto. Alguns enófilos não consomem posteriormente o vinho, contudo, o vinho pode manter-se consumível por 3 dias, em geral. A forma como é conservado o vinho fará diferença.


 


Vejamos algumas regras básicas:


 


- Espumantes: Independentemente da qualidade, depois de aberto perdem o gás carbónico e o aroma em poucas horas. Devem ser consumidos no imediato.


- Vinhos tintos: Os vinhos mais leves podem durar no máximo 2/3 dias sem perderem qualidades já os mais encorpados e complexos podem chegar aos 5 dias.


- Vinhos brancos: Apesar de haver várias opiniões, no geral, admite-se que duram no máximo 2 dias, se guardado numa temperatura baixa.


- Vinhos Rosés: Dado o processo de vinificação são mais perecíveis, devem ser consumidos no mesmo dia.


- “Bag in box": Uma alternativa para quem bebe um copo de cada vez uma vez que duram cerca de 6 semanas.


 












Tempo de conservação aconselhável

Como conservar?


 


- Vinho deve ser armazenado em local frio e escuro mesmo no caso dos vinhos tintos. O frigorífico irá desacelerar o processo de oxidação.


- Opte por tapar a garrafa com um vedante de metal em vez da rolha que já se encontra provavelmente suja e inadequada.


- As garrafas devem ser guardadas em pé de forma a reduzir a área em contacto com o ar.


- Evite guardar a garrafa na porta do frigorífico pois sofre maior volatilidade de temperatura.


- Tape a garrafa a cada uso.


- Já há alguns “métodos” divulgados no mercado como o uso do vácuo e gás inerte. Apesar do método do vácuo ser fácil e mais acessível, há experiências que provam que os aromas são afetados.

 

- O método mais defendido por especialistas é colocar o vinho numa meia-garrafa e colocar no frigorífico. Reduz sensivelmente a área de contacto com o oxigénio e é mais fácil a conservação com a temperatura baixa.


Fonte:





Visite nosso Face

Desenvolvido por Porongo Digital